Liege Pistore, Marcelo Delduque e Rafael Lama Furtado // Lab da terra

O Lab é uma vivência para pessoas interessadas em colocar as mãos na massa, participando do processo de transformação da Serrinha. Durante a semana, nos conectaremos com o tempo da roça e a energia de abundância da natureza, em mutirões, convivência e celebração.

A ideia é estabelecer uma pequena comunidade que participará, durante a semana, do trabalhos diário na fazenda, dos cuidados com a alimentação e das relações entre as pessoas de forma horizontal, em esquema de autogestão.

A vivência terá momentos teóricos e de bate-papo sobre assuntos que envolvem nossas ações na Serrinha, tais como agrofloresta, permacultura, paisagens sustentáveis, manejo de águas e comunidades intencionais, entre outros; e períodos de práticas.

A facilitação será realizada pelos agroecólogos Rafael Lama Furtado e Liege Pistore, que conduzem também os mutirões de agrofloresta, e pelos anfitrião da fazenda, Marcelo Delduque. Já está também confirmada uma vivência prática com o engenheiro e permacultor Guilherme Castagna, um dos grandes entendedores de água do Brasil, um bate papo na fogueira com o agricultor e filósofo Dercílio Pupin, da Família Orgânica, que cuida de um lindo projeto de agricultura orgânica em Piracaia, uma conversa sobre “viver em comunidade”, com o artista de processos Samuel Protetti, da Transforma Aí, e uma oficina de construção natural com terra crua no Casarão dos Irmãos, com Michel Batista Nunes, permacultor e bioconstrutor. Outras participações serão confirmadas nos próximos dias.

Todo o funcionamento da fazenda durante os dias do curso se dará em esquema de autogestão. Cada um participa com o que sabe na cozinha, nos plantios, nos bate-papos, nas ideias. A fazenda oferece a produção interna de alimentos.

Data
03 a 07 de julho

Vagas
30

Valores (já inclui hospedagem)
_ R$ 300,00 (quarto coletivo)

_ R$ 450 (quarto duplo ou triplo)

obs 1: Cada participantes traz 2 kg de grãos + 2 kg de frutas + 2 kg de legumes + um item de matinais.

obs 2: Como os valores praticados pelo Lab são de custo, não podemos diferenciar estudantes e maiores de 60 anos.

Local
Fazenda Serrinha

Sobre os facilitadores
Liege Pistore, a Frida, é agroecóloga pela UFSCar e trabalha com plantas medicinais em sistemas agroflorestais. Começou a praticar agrofloresta junto do grupo de extensão Pés Vermelhos, na faculdade de Araras UFSCar e em assentamentos da região. Também facilita cursos de agrofloresta e autogestão. Ela vê as folhas como pinturas que contam histórias sobre as agroflorestas. Frida vive em um sítio, onde se dedica à agricultura.

Marcelo Delduque é mateiro, editor e fotógrafo. Vive entre projetos editoriais Brasil afora e semeaduras na Fazenda Serrinha, no ofício de aumentar e conectar fragmentos florestais e agroflorestais, espalhando essa ideia até depois de onde a vista alcança. Entre os projetos, ele gosta de destacar o livro “Amazônia – Prata – São Francisco: União d’águas, o imaginário das grandes bacias fluviais brasileiras”, organizado em parceria com Bené Fonteles, finalista do prêmio Jabuti 2014, e a exposiçao “Olarias”, um retrato do bonito ofício e da vida dura dos oleiros da região de Bragança Paulista. Em 2016, criou o Estúdio Sete Pontes, que realiza livros e outras edições agregando uma rede de colaboradores, entre designers, redatores, fotógrafos, produtores gráficos, pesquisadores e ilustradores. Na fazenda, além do trabalho em campo, anfitria grupos que procuram o espaço para realizar imersões e cuida dos programas ambientais e aqueles relacionados ao território e às transformações da paisagem. Atualmente dedica-se também a documentar o ponto de encontro entre o rural e o urbano nas redondezas da região metropolitana de São Paulo.

Rafael “Lama” Furtado é formado em Ecologia pela Unesp de Rio Claro e é mestre em Agroecologia e Desenvolvimento Rural pela UFSCar de Araras. Começou a trabalhar com agrofloresta junto ao grupo de extensão Gira-Sol da UNESP de Rio Claro, morou dois meses na Cooperafloresta na Barra do Turvo de São Paulo e já fez cursos com Ernst Gotsch, Juã Pereira e Namastê Messerschmidt. Participou ativamente do grupo de extensão Pés Vermelhos da UFSCar de Araras e acompanhou uma cooperativa de agricultores familiares em Bragança Paulista. Atualmente trabalha com políticas públicas em agroecologia, facilita cursos de agrofloresta e autogestão e é agricultor. Ele acredita que passarinhos são os maiores professores agrofloresteiros.

 

INSCREVA-SE