As oficinas da terceira semana

A semana começa com a oficina de Vivência com povos indígenas. Na oficina, três etnias estarão na fazenda convivendo com o grupo de inscritos e trocando experiências.
Cronograma:
25 e 26 – Etnia Guarani (São Paulo)
26 e 27 – Etnia Dessana (Alto Rio Negro)
27, 28, 29 e 30 – Etnia Kamaiurá (Alto Xingu)

De 25 a 30 acontece a  oficina de Música, um passeio rítmico, melódico e poético pela história da canção popular do Brasil do século 20. Com Suzana Salles e Paulo Padilha.

Na terça-feira, dia 26, no Casarão Dois Irmãos, o artista Rodrigo Bueno inicia um laboratório que pretende ocupar o entorno agrupando, histórias, resíduos e plantas.

Entre os dias 29 e 30 de julho acontece o último workshop desta edição do festival. “História da Arte – o eterno retorno do encontro” será comandado por Denise Mattar, na Fazenda Serrinha. O curso mostra como o índio brasileiro foi visto e incorporado por artistas desde o Brasil colônia até a arte contemporânea, propondo uma leitura cruzada entre a história da arte brasileira e a representação de nossos povos nativos ao longo dos anos.