Bené Fonteles

Músico, artista plástico, curador, poeta… Muitas são as facetas do paraense Bené Fonteles, que traz em seu trabalho uma incansável missão de sensibilizar as pessoas. Seja para a própria arte, para a natureza, para o despertar da criatividade ou para a paz. Nessa trajetória, que iniciou-se nos anos de 1970, conquistou admiradores-parceiros do quilate de Gilberto Gil, Arnaldo Antunes, Egberto Gismonti e Ney Matogrosso.

Bené já participou de quatro edições da Bienal Internacional de São Paulo. Também expôs, entre muitos outros espaços, no Masp, em São Paulo, e no Museu de Arte Moderna de Nova York. Em 2004, exibiu uma grande exposição retrospectiva na Estação Pinacoteca, em São Paulo. Em maio de 2008, lançou o livro Cozinheiro do Tempo, uma retrospectiva de mais de 30 anos de carreira. Entre outros livros editados, estão obras sobre Gilberto Gil, Luiz Gonzaga, Mario Cravo Neto, Ney Matogrosso e Rubem Valentim.

Coordenador do Movimento Artistas pela Natureza, tem participação marcante no ambientalismo brasileiro, das articulações para a criação do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães às campanhas de conscientização pela revitalização do rio São Francisco.

O artista é parceiro do Festival desde o início, tendo ministrado diversas oficinas vivenciais e realizado, na Fazenda Serrinha, a instalação A grande espiral.